top of page

Problema no olho – “Olho de cereja”


Foto: Revista Virtual Cães e Cia


A glândula da 3ª pálpebra é responsável pela produção de aproximadamente 30% da lágrima do olho.

Devido a uma cansaço do ligamento que mantém a glândula no lugar ela pode se deslocar, tornando-se ficando visível e em contato com o ar. É mais frequente acontecer este problema com cachorros jovens, e o Bulldog tem uma certa tendêcia.

O deslocamento da glândula necessita ser corrigido através de cirurgia, não somente pelo lado estético, mas também porque se a glândula permanecer fora do lugar, com o tempo, pode ocorrer uma fibrose, acarretando em atrofia e paragem de produção de lágrimas.

Há diversas técnicas cirúrgicas para resolver o problema. Alguns profissionais desaconselham a remoção da glândula, pois acreditam que com a retirada há grande chance do animal desenvolver queratoconjuntivite seca, conhecia popularmente como olho seco. Trata-se de uma patologia grave, tratamento difícil, de longo prazo e custo alto.

Tais profissionais acham que o ideal é reposicionar a glândula no seu local mantendo o seu funcionamento. Com o reposicionamento, a chance da glândula voltar a deslocar-se é 5 a 10% dos casos. É muito comum o problema ocorrer nos dois olhos, sendo assim o veterinário deve a glândula do olho não afetado e se necessário corrigi-la também. Alguns estudos falam que quando sai uma glândula, mais cedo ou mais tarde, a outra acaba por sair.

A decisão de retirada ou recolacação da glândula é bastante contravérsia, muitos profissinais têm visões diferentes. Leia abaixo o que aconteceu com a minha bulldog. 


Agora eu gostaria de colocar a minha experiência:

Minha bulldog teve que operar um dos olhos. A glândula “saltou” umas 3x antes optarmos pela cirurgia, pois inicialmente o tratamento com colírio funcionava. Mas como o acontecimento se repetiu tivemos que fazer a cirurgia. Ao contrário do que diz o texto acima, eu optei por retirar a glândula da Quipa. O que o veterinário me explicou foi que a retirada da glândula pode acarretar em olho seco no futuro, mas isso não é 100% garantido. Além disso, o olho seco pode ocorrer mesmo em cães com a glândula normal. Outro ponto que me fez optar pela retirada é que, muitas vezes, o reposionamento da glândula não resolve o problema, e é preciso reposicioná-la outras vezes, chegando ao ponto de que uma hora a única solução é retirada de vez. Optei em não ter que passar por isso e acreditar que minha cadela não terá olho seco. E se tiver, paciência, poderia ter de qualquer forma.

Isto ocorreu aos 7 meses, hoje ela tem 4 anos e nunca precisou tirar do outro olho.

O veterinário que operou ela é maravilhoso, não deu anestesia geral, e ela saiu do consultório caminhando depois de 20 minutos. O consultório dele fica no Butantã – Dr. Dalton (11)3751-1148/3751-5452/4704-5436.


Eduarda Volpatto – Criadora de conteúdo Bullblog e Bulldog Club


Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page