top of page

Obesidade Canina


foto: Zelda Wisdom


Quantas vezes ao passear pela rua com seu bulldog não escutou comentários do tipo ‘que gordinho!’ ou ainda ‘vai ter que fazer uma dieta hein’, são coisas bem comuns do proprietário escutar. No caso dos bulldogs muitas vezes trata-se do desconhecimento da raça e em outros casos pode se tratar realmente de sobrepeso.

Estima-se que cerca de 40% dos cães levados às clínicas veterinárias são obesos. Um cão pode ser considerado obeso quando estiver 15% acima do peso corporal tendo acúmulos de gordura localizados principalmente no abdômen ou generalizados pelo corpo todo. A causa da obesidade canina não é diferente da causa humana, excesso de energia consumida em relação à energia gasta. Evidentemente existem problemas de saúde que podem levar ao aumento de peso sem correlação direta com excesso alimentar como o hipotireoidismo por exemplo, estima-se que um entre quatro cães obesos apresentam alterações hormonais. Animais que não realizam atividades físicas com regularidade acabam se entediando ou também podem se sentir sozinhos e começarem a comer mais. Muitas vezes aqueles cães que passam o dia todo sozinhos não encontram nenhuma atividade que os entretenha e então para sua distração e prazer devoram o prato de ração. Naturalmente existem muitas complicações quanto à saúde do cão relacionadas com a obesidade. Alguns transtornos no aparelho locomotor e agravamento de outros podem ser de origem alimentar, problemas respiratórios e cardíacos podem ser gerados e agravados em animais obesos, o animal torna-se predisposto à diabete e ainda tem-se o aumento no risco na realização de qualquer procedimento anestésico e cirúrgico.

Para evitar que este problema de saúde acometa o seu animal de estimação, temos algumas dicas:

•    ser rigoroso quanto à quantidade de ração a ser oferecida por dia; •    fracionar a ração no mínimo em 3 vezes ao dia, para que o animal sinta-se saciado; •    reduzir ou retirar os petiscos da alimentação; •    não oferecer nenhum tipo de alimento que não seja destinado a cães (alimentos humanos); •    optar por ração light se a redução da ração normal não obtiver bons resultados; •    permitir exercícios, de preferência em dois turnos do dia (seguindo orientações para não exagerar e resultar em outros problemas); •    estar consciente que a perda de peso canina é lenta e gradual e que os resultados muitas vezes demoram até seis meses para começar a aparecer; •    consultar o veterinário para certificar-se que o cão não está doente.

Recentemente foi aprovado pelo Comitê Europeu dos Medicamentos para Uso Veterinário (CVMP) e lançado na Inglaterra um medicamento chamado Yarvitan (laboratório Janssen Animal Health) para redução de peso em cães. Essa medicação tem como princípio ativo o mitratapide que reduz a absorção de gorduras em nível intestinal tendo ação também na redução do apetite. Apresenta-se na forma de uma solução líquida para ser administrado por via oral. A indicação é como um coadjuvante do programa de emagrecimento que deve incluir redução alimentar e exercícios físicos. Pelos estudos realizados pelo laboratório, o Yarvitan deve ser administrado por 3 semanas e os resultados são rápidos e satisfatórios.

Então quando alguém chamar seu cão de gordinho, avalie se realmente trata-se de um animal com sobrepeso ou simplesmente quem fez a observação é proprietário de um galgo, um whippet


Dra. Viviane Dubal – CRMV/RS 8844

Formada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e proprietária da Clinica Veterinária Saúde Animal em Porto Alegre. Contato: vivianesd@bol.com.br

Comentários

Avaliado com 0 de 5 estrelas.
Ainda sem avaliações

Adicione uma avaliação
bottom of page