top of page

Dr. Pet Bullblogueando




Bulldogueiros, é com muita alegria que dou esta notícia:

A partir deste mês a equipe do Cão Cidadão, comandada pelo famoso Dr.Pet, estará escrevendo uma matéria exclusiva para o Bulblog. Não é o máximo?!

Então confira a primeira edição:

Conhecendo seu cão

Fiquei pensando qual seria o melhor assunto para iniciar esta bullpostagem. Concluí que não dá para começar a falar sobre cães sem entender melhor como eles funcionam.

Uma coisa muito importante, que causa a maior parte dos problemas entre proprietários e mascotes, é a falha na comunicação.

Quando nós queremos comunicar algo a alguém, inclusive aos nossos cães, nós usamos a fala. A pergunta é: Será que os cães realmente entendem o que estamos falando? Muita gente deve estar respondendo: Óbvio que sim, olha a felicidade dele quando eu falo a palavra “passeio”, ou então: Quando eu pergunto “Quem fez isto?” meu cão sempre sabe que fez algo errado, pois logo vai se esconder.

Pois é, enquanto nós falamos para comunicar alguma coisa a nossos cães, eles utilizam como uma das principais formas de entender a nossa comunicação o que chamamos de linguagem corporal, sinais corporais ou “body language”.

Esta linguagem corporal é um conjunto de vários gestos e movimentos (e posturas) que fazemos quando expressamos algum tipo de emoção, seja ela boa ou ruim, tanto sinais universais, como sorrir quando está feliz, como aqueles que só nós fazemos, bem mais sutis. Por exemplo, quando estamos felizes normalmente sorrimos, ficamos mais relaxados, mais brincalhões, convidamos nossos cães para “passear”, falamos de forma mais divertida, etc.

O contrário também é verdadeiro, quando ficamos bravos, automaticamente fechamos o rosto, ficamos preocupados, tensos, nosso olhar se transforma e nosso tom de voz fica bem menos convidativo, principalmente quando percebemos que nosso cão comeu um pedaço do tapete novo.

São estes sinais corporais, às vezes bem sutis, que os cães captam em nós. Quando estamos felizes e receptivos a brincadeiras, reagimos de uma forma, quando não, reagimos de outra forma. Simples assim.

Existem ainda outras formas de comunicação, por exemplo, o olhar muitas vezes pode servir como um convite a uma brincadeira… O toque pode acalmá-los, a sonoridade das nossas palavras, se você prestar atenção, vai notar que eles distinguem o seu tom de voz e sabem perfeitamente quando está tudo bem e quando fizeram alguma coisa legal.

Pois é, caros bullblogueiros, nossos cães lêm tudo isto na nossa cara – literalmente, mas ainda assim, acreditamos que somos os únicos seres do planeta providos de inteligência.

Aliás, está aí um excelente assunto para a próxima edição

Espero que tenham gostado deste tema.

Um grande abraço e até nossa próxima bullpostagem.

Denise Falck

.

Equipe Dr. Pet – Cão Cidadão

(11) 3571-8138

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page