top of page

Boa convivência entre as crianças e os animais de estimação

Não é sobre bulldog, mas é sobre cães e crianças. Acredito que vá interessar… a matéria foi retirada do site Crescer, e quem deu a dica foi o leitor Alex Barbosa Carrili.



Ensine seu filho a tratar o animal de estimação com respeito para garantir uma convivência feliz – Malu Echeverria

Os bichos de estimação são um excelente estímulo para as crianças, não há dúvida. Costumam ser fiéis e companheiros, mas podem nos surpreender vez ou outra. O vira-latas Pilú, por exemplo, nunca deu motivos de queixa para a dona Haline Alvarenga, de Foz do Iguaçu (PR). Quando Haline teve a primeira filha, Milena, hoje com 5 anos, o cãozinho logo se adaptou ao novo membro da família. Certo dia, porém, quando a mãe abriu a porta de trás do carro para desembarcar a menina e o cão, Pilú saltou a toda velocidade para fora do automóvel. Resultado: um arranhão no rosto da criança e muito, muito choro.

Esse tipo de acidente poderia ter sido evitado com uma medida simples, mas que tende a ser esquecida pelos donos dos animais. “Cães e gatos só devem ser transportados em caixas apropriadas (uma espécie de casinha com grade), que variam conforme o tamanho e a espécie do bicho”, diz a veterinária Caroline Poleze. De acordo com a especialista, se o animal já estiver habituado à família, dificilmente vai atacar. Mas o exemplo acima mostra que o bicho pode reagir de maneira inesperada. A seguir, ela dá mais dicas para crianças e animais conviverem sem riscos.

– Antes de adquirir um animal, se possível, pesquise sobre a raça. Alguns cães, por exemplo, não gostam de crianças;

– Se o bicho já fazia parte da família antes da criança nascer, “apresente” o bebê logo nos primeiros dias para evitar ciúme. Deixe que ele cheire a criança e, assim, entenda que ela é mais um membro da casa;

– Ensine seu filho a tratar do bicho com respeito. Mesmo os que gostam de crianças podem atacá-las instintivamente se forem agredidos. Por isso, não deixe que elas batam no animal, arranquem seus pêlos nas brincadeiras ou que o interrompam durante as refeições; – Mesmo que o seu bicho seja dócil, convém supervisionar as brincadeiras quando as crianças estiverem por perto.Em caso de acidente…Se a criança for mordida, deve-se lavar a ferida com água corrente e buscar assistência médica (posto de saúde ou hospital) em seguida. O médico irá avaliar a necessidade ou não de vacinar a criança contra raiva. Em geral, ele leva em conta a origem do bicho (se for cão de rua, por exemplo). A família não é obrigada a se desfazer do animal depois do acidente. Antes de tomar alguma decisão precipitada, convém observá-lo por alguns dias. Se ele estiver dócil, saudável e com as vacinas em dia (principalmente a anti-rábica), não há riscos.Fonte: Caroline Poleze, graduada em Medicina Veterinária

댓글

별점 5점 중 0점을 주었습니다.
등록된 평점 없음

평점 추가
bottom of page